As princesas dançarinas

História dos Irmãos Grimm

Era uma vez um Rei que tinha doze filhas muito lindas. Elas dormiam juntas em um mesmo quarto. Todas as noites, quando os criados do castelo trancavam as portas para elas dormirem, as moças fugiam e, pelo jeito, caminhavam muito.

Ninguém nunca havia descoberto por onde elas fugiam, mas todas as manhãs os criados podiam ver pelos seus sapatos que estavam muito gastos.

O Rei, já irritado com a situação proclamou que quem descobrisse o segredo delas receberia grandes tesouros e ainda poderia escolher qualquer uma delas para se casar. Mas, teria somente uma noite para descobrir, caso contrário, perderia a vida.

Pouco tempo depois apareceu no castelo um príncipe de um reino próximo se oferecendo para tentar a sorte.

Ele foi bem recebido e foi levado para passar a noite no quarto ao lado do das princesas.

O príncipe decidiu passar a noite acordado para descobrir, mas depois de muito tempo sem ouvir nada o sono foi chegando, chegando e ele acabou dormindo. No dia seguinte descobriram que além de terem fugido elas até furaram a sola dos sapatos.

No dia seguinte o pobre príncipe foi decapitado, sem misericórdia.

Muitos outros vieram e tiveram o mesmo fim do primeiro.

Um dia, apareceu no reino um soldado que não podia mais servir porque havia sido ferido na guerra. Ele ficou sabendo dos proclamas do rei e decidiu descobrir o segredo das princesas.

Enquanto se encaminhava para o castelo, encontrou uma velha que perguntou para onde ia, e ele respondeu:

– Vou para o castelo. Eu quero descobrir onde as Princesas vão até fazer buracos nos sapatos e me casar com uma delas.

– Isso não é tão difícil, mas você não deve beber o vinho que será trazido a você à noite.

Depois de dizer isso, ela lhe deu um pequeno manto e disse:

– Se você puser isso, ficará invisível e, então, poderá seguir as doze princesas.

O soldado então foi até o castelo e se anunciou como pretendente. Ele foi bem recebido e levado para o quarto ao lado do quarto das princesas.

Quando estava perto da hora de dormir, a princesa mais velha lhe trouxe uma taça de vinho. O soldado agradeceu e assim que ela se distraiu, ele jogou o vinho pela janela e se deitou, dizendo estar cansado.

As doze Princesas, em seu quarto, riram quando a mais velha contou sobre o soldado que iria dormir ao lado do quarto delas.

Pouco tempo depois abriram o guarda-roupas, e tiraram lindos vestidos, vestiram-se diante dos espelhos, pularam de alegria porque iriam sair mais uma noite.

Na verdade, todas estavam felizes, exceto a mais nova que falou:

– Não sei explicar, mas sinto que algo vai acontecer conosco.

As outras irmãs riram ao ouvir as palavras da caçula.

Quando estavam todas prontas, a mais velha foi até sua cama e deu-lhe umas pancadinhas no canto. Imediatamente a cama afundou sob a terra e, uma após a outra, as princesas desceram pela abertura, a mais velha indo primeiro.

O soldado, que estava acordado, foi até o corredor, ficou observando pelo buraco da fechadura e viu tudo o que havia acontecido.

Assim que elas desapareceram, ele colocou o seu manto, conseguiu entrar no quarto e foi de mansinho atrás delas.

No meio do caminho, ele acabou pisando na barra do vestido da mais nova, que estava por último na fila.

A moça levou um grande susto e gritou:

– O que é isso? Quem está puxando meu vestido?

– Não seja tão boba, não tem ninguém aqui além de nós, você deve ter prendido o vestido em alguma raiz – falou a mais velhas.

Então, elas continuaram o caminho e acabaram chegando em uma bela avenida cheia de árvores.

O soldado estava com dificuldade de segui-las por causa do seu ferimento de guerra, ele parou e se segurou em um galho de árvore, que se quebrou quando ele se apoiou, fazendo um grande barulho.

A mais nova levou um susto e gritou:

– Alguma coisa está errada! Vocês ouviram esse estalo?

Mas a mais velha disse:

– Não é nada!!!

Eles continuaram até chegar a um lago onde estavam doze pequenos barcos e, em cada um, um lindo Príncipe esperando por uma das doze Princesas. Cada uma entrou em um barco e o soldado sentou-se com a mais nova.

Então o Príncipe que acompanhava a caçula disse:

– Tem alguma coisa errada, o barco está mais pesado hoje. Estou usando toda a minha força para remar e o barco mal se move.

Quando chegaram ao outro lado do lago o soldado pode ver um lindo castelo, muito bem iluminado onde tocavam as mais belas músicas.

As doze princesas dançaram até às três da manhã, quando todos os sapatos criaram furos e elas precisaram ir embora.

Os Príncipes remaram de volta até o outro lado do lago e, dessa vez, o soldado se sentou perto da mais velha.

Na margem, eles se despediram de suas Princesas e prometeram retornar na noite seguinte.

Quando chegaram perto das escadas que levavam ao castelo, o soldado de apressou e passou na frente delas, foi para o seu quarto e deitou-se como se nada tivesse acontecido.

Elas chegaram ao quarto, tiraram seus lindos vestidos, guardaram, puseram os sapatos desgastados embaixo das camas e se deitaram.

Na manhã seguinte, o rei chamou o soldado e perguntou:

– Como minhas filhas fazem para fugir do castelo?

E o soldado contou ao rei tudo o que havia visto, o rei foi até o quarto delas e encontrou a passagem secreta.

Quando elas viram que tinham sido descobertas, foram obrigadas a confessar tudo.

Diante disso, o Rei perguntou ao ex-soldado qual delas ele queria para ser sua esposa.

Ele respondeu:

– Aceitarei os tesouros, mas não posso escolher uma delas para me casar, acredito que cada uma já encontrou o seu príncipe.

***

Clique aqui para ler a história O agricultor e o burro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *