Aladim – parte 2

Adaptação de história de Antoine Galland

Aladim viveu feliz por muitos anos em seu palácio com a princesa. Ele era muito querido pelos súditos do sultão e por todos a sua volta.

Um dia, seu tio mago resolveu voltar para tentar pegar a lâmpada mágica novamente, mas quando chegou descobriu que Aladim agora estava muito rico, vivia em um palácio e tinha se casado com a filha do sultão. Imediatamente percebeu que Aladim havia pegado a lâmpada e ficou muito irritado com isso, decidiu então encontrar uma maneira de roubá-la.

Ele ficou sabendo que Aladim havia viajado por alguns dias para caçar na floresta e resolveu agir o mais rápido possível.

Ele se vestiu de mendigo, pegou um grande saco, lá colocou várias lâmpadas novas e foi até o palácio dizendo que trocava lâmpadas velhas por novas. Logo, vários empregados do palácio se aglomeraram para trocar suas lâmpadas velhas por outras novinhas em folha.

A princesa ouviu o alvoroço na entrada do palácio e quis saber o que estava acontecendo. Quando a sua serva lhe contou, ela se lembrou de ter visto uma lâmpada velha nas coisas de seu marido e foi correndo buscá-la para trocar.

Assim que o mago colocou as mãos na lâmpada, soube que havia conseguido o que queria. Ele deixou o castelo, foi para a um local afastado e então esfregou a lâmpada até que o gênio apareceu.

– Faça o palácio de Aladim ficar invisível aos olhos de todos, faça com que todas os seus servos me obedeçam a partir de agora e faça com que toda a sua riqueza seja minha.

Imediatamente o palácio ficou invisível e todos os que passavam por perto achavam que ele realmente havia desaparecido.

O mago assumiu o palácio e transformou a vida da princesa em uma tristeza sem fim, ela não entendia o que havia acontecido e não tinha mais nenhum dos seus servos para ajudá-la.

Quando Aladim voltou ficou desesperado, não entendia o que tinha acontecido, mas desconfiou que alguém havia pegado a lâmpada, era a única explicação para o palácio ter sumido.

Por dias, ele vagou à procura de alguma pista, mas foi em vão, para piorar o sultão ameaçou prendê-lo por ter feito sua filha desaparecer.

Então ele falou:

– Eu lhe imploro sultão, me dê mais alguns dias, vou descobrir o que aconteceu e resgatar a princesa.

Por gostar de Aladim, o sultão lhe deu um prazo para resolver a situação. O rapaz foi ao local onde ficava o palácio para encontrar alguma pista, quando de repente trombou com a parede do palácio e percebeu que ele estava ali o tempo todo, mas invisível.

Agora ele teria que encontrar uma maneira de entrar, resgatar a princesa e a lâmpada.

Ele fez os seus cálculos para escalar o palácio invisível e entrar pela janela do seu quarto.

Felizmente, assim que entrou encontrou a princesa chorando de tristeza por tudo o que estava acontecendo. Ele contou a ela toda a verdade sobre a lâmpada, sobre a sua origem e como havia conquistado tudo o que tinha. Ela ficou muito chateada ao descobrir que a causa de tudo era ela ter feito a troca das lâmpadas. Depois de muito conversarem decidiram trabalhar juntos para resgatar a lâmpada e acabar com o mago malvado.

– O mago carrega a lâmpada consigo o tempo todo, amarrada em seu cinto – falou a princesa.

– Esta noite quero que peça para jantar com ele, eu me esconderei enquanto estiverem jantando. Eu irei escondido até o quarto do médico do palácio e trarei um sonífero que você colocará em sua bebida durante o jantar. Ah! Lembre-se de pedir para jantarem as sós!

A princesa fez tudo conforme eles haviam planejado e em pouco tempo o mago desmaiou em cima do prato.

Nessa hora, Aladim saiu do seu esconderijo e pegou a lâmpada. Ele a esfregou e pediu ao gênio para desfazer os pedidos do mago, ordenou que ele fosse levado para o lugar mais isolado do mundo e lá ficasse até sua morte sem poder fazer mal a mais ninguém.

O sultão ficou muito feliz com o retorno de sua filha e seu genro e ofereceu um banquete de dez dias para comemorar.

Depois disso, Aladim escondeu muito bem a sua lâmpada para que não caísse de novo em mãos erradas.

***

Clique aqui para ler a história Aladim – parte 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *