O vendedor

História de Maria Cecilia Lima

Certa vez, em um pequeno vilarejo no meio do deserto, apareceu um vendedor. Ele trazia em seu pequeno caminhão capas de chuva, guarda-chuvas, coletes salva-vidas e barcos infláveis.

Ninguém entendeu nada, naquele lugar quase nunca não chovia e nunca houve inundação, eles não tinham lagos ou rios e até mesmo a água que consumiam vinha de poços artesianos.

Mas o homem explicou que tinha informações privilegiadas de que a localidade seria, em breve, atingida por uma grande chuva que inundaria tudo e só poderiam se salvar aqueles que comprassem as coisas que ele vendia.

Ele ainda prometeu que ajudaria a todos no momento da inundação para que salvassem suas vidas.

No começo somente algumas pessoas acreditaram, mas ele explicou que conhecia meteorologistas do mundo todo, que em outros lugares tinha acontecido a mesma coisa e que, inclusive, pessoas haviam morrido.

Dessa vez, mais pessoas acreditaram nele e aos poucos ele havia convencido vários moradores a comprar seus produtos.

Ele ainda disse que uma inundação como aquela já havia acontecido naquele lugar, muitos anos antes, nenhum morador se lembrou disso, mas ele contou com tantos detalhes e foi tão convincente que eles começaram a “lembrar”.

Por fim, ele contou aos moradores, em detalhes, todo o sofrimento das pessoas de outras localidades que foram inundadas, descreveu a forma como morreram e todo o desespero que passaram.

Falou das famílias destruída, da dor e do luto que passaram.

Esses moradores, além de comprar os produtos ainda se tornaram seguidores desse homem, pois esperavam que no momento da inundação ele pudesse guiá-los para a salvação.

Depois de ter vendido todos os itens do seu caminhão ele avisou que na semana seguinte a chuva viria e que ele os salvaria.

Porém, quando a semana seguinte chegou o homem desapareceu, ele pegou o seu caminhão e foi embora do vilarejo.

Os moradores ficaram desesperados, perdidos e apavorados, aguardando a grande inundação.

Passou uma semana e não choveu, passaram duas semanas e nada aconteceu, passaram alguns meses e nada aconteceu, passaram anos e nada aconteceu.

Conselho de vó: Nunca acredite em quem cria um problema para vender uma solução.

***

Ajude esse site a se manter no ar

Clique aqui para ler o poema Ou isto ou aquilo

1 comentário em “O vendedor”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *