A princesa ervilha

História de Hans Christian Andersen

Era uma vez um príncipe que saiu pelo mundo para encontrar a princesa perfeita para se casar. Porém, depois de conhecer muitas princesas não havia encontrado nenhuma que lhe agradasse o suficiente. A cada uma que ele conhecia, pensava: “Esta não é uma princesa verdadeira”.

O príncipe retornou à sua casa cansado e abatido por não ter tido sucesso em sua empreitada.

Um tempo depois, numa noite de tempestade, bateu à porta do castelo uma moça muito linda pedindo abrigo. Ela estava toda encharcada, escorria água dos seus cabelos, suas roupas grudavam no corpo e os sapatos também ensopados.

Ela falou que era uma princesa e precisava de um lugar para passar a noite.

Todos acharam aquilo muito estranho, mas deram abrigo para a moça. Porém, a rainha teve uma ideia para descobrir se ela era mesmo uma princesa.

A rainha chamou as camareiras e pediu para prepararem um quarto para a jovem, mas recomendou:

– Deixem uma ervilha sobre a madeira, por cima coloquem sete colchões e por cima coloquem forros e lençóis bem macios.

Na manhã seguinte, enquanto tomavam o café da manhã, a rainha perguntou à moça:

– Dormiu bem, querida?

– Oh! Não, dormi muito mal a noite toda, algo deixou meu corpo muito dolorido. Tive a impressão de estar deitada sobre um objeto esférico, pequenino. Foi horrível!!!

Dessa forma, a família real pode verificar que a moça era mesmo uma princesa. Por ser tão sensível, só poderia ser uma princesa verdadeira.

Então o príncipe casou-se com ela, e não precisou procurar mais.

E foram felizes para sempre.

***

Clique aqui para ler a história Urashima Taro

1 comentário em “A princesa ervilha”

  1. Pingback: Os sapos e o poço – Histórias que minha avó contava

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *