A gratidão de Tsuru

História Japonesa

Era uma vez um jovem camponês que morava em um vilarejo nas montanhas. Um dia, quando voltava para casa encontrou um tsuro (pássaro grou) preso em uma armadilha.

O rapaz ficou com pena do pássaro, o libertou e ele voou para longe.

Alguns dias depois apareceu em sua casa uma linda moça pedindo sua ajuda, pois estava perdida. Ele a acolheu e ela ficou alguns dias morando com ele.

Depois desse tempo, ele ficou completamente apaixonado por ela e a pediu em casamento. Ela aceitou e eles se casaram.

Porém, a situação deles não era muito boa e quase não havia dinheiro para viver. Então, um dia, ela falou ao marido que ficaria no quarto por três dias tecendo, disse que ele não poderia entrar ou espiar até que ela saísse.

Ele aceitou e por três dias ele ouvia apenas o barulho do tear.

Quando ela saiu do quarto havia feito um belíssimo manto. O marido vendeu o manto por um bom dinheiro e a situação deles melhorou. Desde então, de tempos em tempos ela se trancava no quarto e ficava tecendo, a cada vez fazia um manto mais lindo que o outro e o marido vendia por muito dinheiro. A situação deles começou a melhorar a cada dia.

Um dia, porém, muito curioso em saber o porquê de a esposa precisar ficar trancada por tanto tempo ele resolveu espiar pelo vão da porta.

Para a sua surpresa ele viu no quarto, em vez da esposa, o tsuru que fiava o manto arrancando as próprias penas do peito.

A esposa percebeu que o marido a observava, a promessa havia sido quebrada. Ela então disse:

– Eu sou a garça que você salvou. Queria muito recompensá-lo por sua gentileza em me salvar, por isso tornei-me sua esposa. Mas agora que conhece minha verdadeira forma, não posso ficar aqui por mais tempo.

Então, com as mãos trêmulas ela lhe entregou o tecido acabado e falou:

– Deixo este manto para que se lembre de mim.

Então, ela se ela se transformou em um tsuru e voou para longe.

***

Clique aqui para ler a história Marcelo Magrelo

1 comentário em “A gratidão de Tsuru”

  1. Pingback: A lenda da pororoca – Histórias que minha avó contava

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *