Os animais gratos

História de Patrick Kennedy

Certa vez, um rapaz muito pobre, chamado Jack, ganhou um dinheiro e foi correndo à feira comprar algo para comer.

Porém, no meio do caminho, ele encontrou alguns moleques batendo em um pobre rato que tinham acabado de capturar.

Jack ficou com pena do rato e falou:

– Meninos, não sejam tão cruéis, me vendam esse rato e usem o dinheiro para comprar alguns doces.

Os meninos aceitaram e ele usou um pouco do seu dinheiro para comprar o rato. Assim que os moleques foram embora, ele soltou o animal.

O rapaz andou mais um pouco e viu um outro bando de moleques batendo em uma doninha, Jack ficou com pena do animal e falou:

– Não sejam maldosos, me vendam essa doninha e usem o dinheiro para comprar alguns doces.

Jack gastou mais um pouco do seu dinheiro, já que eles aceitaram a troca e lhe entregaram a doninha. Depois disso o rapaz soltou o animal.

Pela terceira vez, Jack se deparou com um bando de moleques maltratando um velho burro.

– Não façam essa maldade, me vendam esse animal e usem o dinheiro para o que bem entendam.

Desta forma, Jack gastou todo o seu dinheiro e nem tinha chegado à feira.

Assim que continuou o seu caminho percebeu que o burro o estava acompanhando, então resolveu ficar com o animal para si.

Depois de muito andar, sentou-se ao pé de uma árvore e dormiu. Quando acordou estava cercado por um bando de rapazes mal-encarados que começaram a implicar com ele.

Eles diziam que ele havia ultrapassado os limites de uma propriedade privada e que não poderia dormir debaixo daquela árvore. Quando Jack começou a ir embora, eles o pegaram, colocaram-no dentro de um baú, amarraram com uma corda e o jogaram no rio.

Quando o burro viu o que aconteceu, correu pedir ajuda. Encontrou o rato e a doninha que se prontificaram a ajudar.

A doninha então subiu nas costas do burro, o rato entrou em sua orelha e eles entraram na água até chegarem ao baú. A doninha e o rato roeram a corda até libertarem o rapaz. Depois todos se seguraram no burro que os levou até a margem.

Eles descansaram e quando já estavam se levantando para ir embora, a doninha, que viu algo flutuando na água, correu para pegar. Ela voltou com um ovo muito diferente, que tinha a casca colorida. Jack achou aquele ovo muito interessante e resolveu guardar no bolso.

Como já estava anoitecendo, ele resolveu acender uma fogueira para se aquecer e para terem um lugar onde dormir.

Então ele começou a falar com os animais:

– Ah! Meus queridos amigos, gostaria de agradecer a vocês por terem me salvado. Como eu queria ter uma bela casa, com muitos quartos e muitas terras para assim, levá-los para viver comigo.

Enquanto falava, Jack estava com a mão no bolso, segurando o ovo. Nesse momento, todos levaram um susto ao verem surgir, bem na frente deles, uma linda casa.

Depois desse dia, todos eles começaram a viver em abundância e, tudo o que precisavam, bastava pedir segurando o ovo, que acontecia.

Alguns meses depois, passavam por ali alguns mercadores que se espantaram ao ver aquela linda casa, já que era seu caminho habitual e nunca a tinham visto.

Eles bateram na porta pedindo por água e Jack os convidou para entrarem e comerem juntos.

Mas Jack era muito inocente e acabou contando a eles sobre o ovo mágico.

Assim, um dos mercadores pegou o ovo e fez um pedido expulsando o rapaz e os animais da bela casa.

Novamente estavam os quatro sem nada, sem casa, sem dinheiro, sem comida.

Então Jack resolveu fazer algo para reverter a situação, subiu nas costas do burro, a doninha em suas costas e o rato nas costas da doninha e foram para a casa, de madrugada, para recuperar o ovo.

O rato entrou na casa, Jack, o burro e a doninha se esconderam em um bosque ali perto.

Logo, o rato voltou para junto deles e chamou a doninha para ajudá-lo, Jack e o burro continuaram esperando.

O rato e a doninha voltaram para a casa e procuraram o ovo até encontrá-lo escondido em uma pequena caixa de madeira embaixo da cama de um dos mercadores.

Devagarinho eles roeram a madeira até recuperarem o ovo e devolverem a Jack.

O rapaz recuperou a casa, seus bens e ainda deu uma lição nos ladrões.

Depois desse dia eles viveram felizes e em abundância e Jack aprendeu a não falar demais.

***

Clique aqui para ler a história A galinha d’Angola

2 comentários em “Os animais gratos”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *