A cegonha e o sapinho

Autor desconhecido

Certa vez, um sapinho estava no quintal de uma casa e, de longe, observava os homens conversando. Ele sempre tentava não se aproximar dos homens pois haviam lhe dito que os homens eram maus e vez ou outra matavam a sua espécie.

De repente, duas cegonhas pousaram no telhado da casa e a mais velha das duas começou a falar:

– Veja esses homens, como são imprestáveis! Que bem eles fazem para esse mundo? São uns inúteis, destroem tudo por onde passam, expulsam animais e só causam desordem. Além disso, são muito limitados, sequem conseguem falar uma língua em comum. Em cada lugar do mundo falam uma língua diferente e nunca se entendem. Eles não são como nós que podemos viajar para vários lugares, quando precisam se deslocar entram em uma lata gigante para a viagem. O mundo seria muito melhor sem eles, na minha opinião, deveriam ser extintos todos eles e nesse mundo só ficariam as cegonhas e os sapos.

O sapinho, ouvindo aquele discurso, ficou exultante, também não gostava dos homens e agora tinha aliados. Imaginou que se ele se unisse às cegonhas, teria uma vida muito melhor e que juntos, poderiam dominar o mundo se os homens fossem extintos.

Pouco tempo depois os homens entraram na casa e o sapinho resolveu se apresentar às cegonhas e falar a elas que apoiava tudo o que elas estavam falando.

Ele começou a pular para chamar a atenção delas quando foi avistado. Imediatamente a cegonha levantou voo e foi na direção do sapo.

Porém, ao dar o rasante engoliu o sapo de uma só vez.

Conselho de vó: Nem todos os que têm um inimigo em comum podem ser aliados.

***

Ajude esse site a se manter no ar

Clique aqui e leia a história O céu e o inferno

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.