O avarento

História de Figueiredo Pimentel

Certa vez, um homem que queria ficar rico decidiu que para isso deveria aprender com alguém que já fosse rico. Então, procurou o homem mais rico da cidade e se apresentou como humilde aprendiz:

– Por favor, me ensine como ficar rico!

O rico então falou:

– Venha comigo, vamos dar uma volta na cidade e vou te ensinar.

O dois foram caminhando quando viram uma padaria. O rico falou:

– Vamos entrar!

Assim que entraram, o rico procurou o padeiro e perguntou:

– Qual o melhor pão dessa padaria?

– É esse aqui, meu senhor, melhor que esse não há, derrete na boca como manteiga.

O rico então falou para seu aprendiz:

– Se esse pão é tão bom quanto a manteiga, melhor proveito teremos se comprarmos a manteiga, vamos.

Os dois foram caminhando até chegar ao laticínio:

– Meu senhor, – falou o rico – qual a melhor manteiga que você tem?

– Ah! Meu senhor, é essa, tão boa quanto azeite!

O rico então falou para o aprendiz:

– Se essa manteiga é tão boa quanto o azeite, melhor proveito teremos se comprarmos o azeite.

Saíram e foram caminhando até o armazém:

– Qual o melhor azeite que o senhor tem aqui para vender?

– Meu senhor, é esse aqui, tão bom quanto água.

Os dois foram então saindo e o rico falou:

– Água temos em casa, viu quanto economizamos?

Conselho de vó: O avarento pode ter muito dinheiro, mas não é rico. Ser rico é poder comer o pão com a manteiga e o azeite e não se preocupar com o que gastou.

***

Clique aqui para ler a história Pedro Malasartes

Ajude esse site a se manter no ar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.