A sopa de pedra

História de Figueiredo Pimentel

Um dia, Pedro Malasartes estava caminhando pela estrada e sentia muita fome.

Ele viu uma casinha e foi pedir algo para comer, viu que lá havia algumas galinhas, algumas cabras e uma horta. Bateu na porta e uma mulher atendeu. Ele pediu comida, mas a mulher respondeu:

– Aqui não tem nada não, já almocei e não sobrou nada.

– Tudo bem, minha senhora, mas então, a senhora poderia me emprestar uma panela, vou fazer uma sopa de pedras.

– Sopa de pedra? E fica bom?

– Fica sim minha senhora, fica deliciosa.

A mulher ficou impressionada com isso e também curiosa, pensou no quanto economizaria se aprendesse a fazer tal sopa. Ela emprestou a panela e foi observar o que aquele rapaz faria.

Pedro fez uma fogueira, pegou água em uma bica ali perto, pegou algumas pedras que estavam no quintal, as lavou, colocou na panela e pôs para ferver.

A mulher não parava de olhar e ele lhe disse:

– A senhora pode me emprestar um pouco de sal?

– Sim claro!

 Assim que a mulher voltou, ele falou:

– Se tiver alguns temperos vai ficar melhor ainda.

– Claro, vou buscar!

– Se tiver cebola, alho, batata, arroz e cenoura fica melhor ainda.

– Só um minuto que já trago.

Pedro Malasartes foi colocando tudo na panela.

– Vi que a senhora tem algumas galinhas, se colocar galinha fica muito melhor.

– Tenho galinha na geladeira, vou pegar.

E assim Pedro fez a sopa e quando ficou pronta ele falou:

– A senhora quer comer também?

– Quero sim!

Ele fez o seu prato, fez um prato para a mulher e comeram juntos.

Assim que acabou a mulher perguntou:

– A sopa é realmente muito boa, mas e as pedras?

– As pedras a gente lava e dá para usar numa próxima sopa!

***

Clique aqui para ler a história O avarento

Ajude esse site a se manter no ar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.